Notícias


Publicado em:
29
10/2018

Vendas no Instagram impulsionam comércio

Mensalmente, 90 milhões de contas acessam publicações de compras na rede. Especialista dá dicas para empresas interessadas no recurso



Metatags: Instagram, Comércio Digital, Consumo, Shopping, E-Commerce

Desde que surgiu, em 2010, o Instagram se firmou como uma rede social visual, com foco em fotos e vídeos. Hoje, as empresas podem usar os recursos imagéticos do aplicativo para montar uma vitrine de vendas eletrônicas.

Trata-se da funcionalidade Instagram Shopping, inaugurada no Brasil em 2018. Em abril, por exemplo, foram realizadas 180 milhões de transações no app.

A professora Maria Carolina Avis, especialista em Marketing Digital do Centro Universitário Internacional Uninter, explica que o recurso foi uma grande “sacada” da rede social.

“O principal fator para o sucesso é a facilidade de compra. O usuário consegue, de forma muito ágil, ter acesso às informações do produto e ir para a finalização da transação”, diz.

Segundo a rede, mensalmente 90 milhões de contas acessam publicações de vendas para saber mais sobre os produtos. “Para as empresas, houve uma facilitação na resposta sobre variedade de cor, disponibilidade, preço e forma de pagamento. A própria postagem disponibiliza esses detalhes”, explica.

Desde o início do Instagram Shopping, foi aferido um aumento de 25% no tráfego do aplicativo e de 8% na receita. Isso significa que a rede social se tornou um ambiente propício para todos os tipos de lojas eletrônicas, desde que seu público-alvo seja usuário da rede. “É preciso ir aonde seu público está”, recomenda Maria Carolina.

Para usar o Shopping, a empresa precisa comercializar produtos, e não serviços. Além disso, precisa ter um site próprio, para onde o usuário será redirecionado para finalizar a compra.

Mesmo já tendo um site próprio, a professora defende que a funcionalidade é vantajosa para as lojas. “O grande benefício é otimizar a experiência do usuário. No Instagram, ele escolhe o produto com mais facilidade e avança facilmente para o estágio de compra”, diz.

Para aqueles que estão iniciando no Instagram, a professora ressalta algumas regras. Ao utilizar fotos de catálogo ou de outra empresa, por exemplo, é preciso fornecer os créditos da imagem. Também não é recomendado utilizar fotos de baixa qualidade.

Algumas práticas são completamente proibidas pelo aplicativo, como realizar sorteios e trocar engajamento (curtidas e seguidores) por crédito na loja ou produtos. Postagens com esse teor podem ser retiradas do ar.

Fonte: Assessoria de Imprensa Grupo Uninter


Últimas notícias

Serasa Experian alerta que 40% dos sites brasileiros não estão seguros

Criminosos aproveitam a data para roubar dados e realizar fraudes. Serasa lista dicas para os lojistas estarem atentos ao assunto.
Leia Mais

Revestimento para piscina: qual utilizar?

Dos mais requintados aos mais simples, os revestimentos estão disponíveis para todos os gostos e bolsos.
Leia Mais

Consumidores recorrem a avaliações on-line para tomar decisões de compra

Coordenador de digital business da FGV afirma que comentários em ambientes digitais são a segunda fonte mais confiável de informações sobre produtos.
Leia Mais