Feira

A logística reversa de embalagens e a indústria de piscinas

 

Especialista da FIESP orienta como fabricantes podem se enquadrar na legislação e evitar autuações.

A logística reversa é um processo que prevê a reciclagem de resíduos sólidos, como embalagens, para que sejam restituídos ao processo produtivo. O tema é regulamentado no Brasil em várias instâncias e vem levando muitas empresas a serem autuadas.

Os fabricantes de piscinas, como os de qualquer outro setor, estão sujeitos à legislação e precisam ficar alertas. O tema de grande interesse, foi apresentado por Ricardo Lopes Garcia, especialista do Departamento de Meio Ambiente da FIESP, no segundo dia do Fórum Brasileiro da Indústria de Piscinas e Spas da Expolazer 2019.

Garcia explicou em detalhes o sistema que vem sendo desenvolvido pela FIESP e que já conta com 50 entidades e mais de 1.300 empresas do Estado de São Paulo. O sistema foi criado para que as indústrias possam cumprir a lei, especialmente aquelas de micro e pequeno porte.

Pelo novos sistema, uma certificadora coleta as notas fiscais na etapa do processo em que os resíduos passam dos operadores para o recicladores, o que permite um melhor controle sobre o volume que está sendo reaproveitado.

Fonte: Primeira Página

 

Foto: Francal/Divulgação

Redes Sociais